Home
Proposta do Evento
Um pouco sobre o Ruy
Agenda de Encontros
Álbum de fotos
Colunas do Ruy
Livros
Eu Fui!
Conheça a equipe
Imprensa
Sugira um convidado
Faça contato conosco
Livro - Encontros com o Professor - Cultura Brasileira em Entrevista - Volumes I, II, III,
IV , V, VI e VII
Ver todos

  


Ouça o Encontros na
Rádio CBN 1340.
Aos sábados, às 10h,
e segundas-feiras, às 14h.

 
 
Colunas do Ruy

Cadastre-se e receba as colunas do Ruy.

Seu nome
Seu e-mail

Desejo receber novidades
no e-mail informado acima.

19/10/2011

Companheiro de chope
Não deixa de ser uma conclusão tardia e um pouco fora de contexto, talvez com indicadores de outra procedência, bem mais simples, quase inofensivos. Mas servem para demarcar este tempo enlouquecido que começou no século 21, faz onze anos.

Foram duas crises mundiais que afundaram as economias, as antigas e as emergentes. A primeira em 2008. A segunda, essa agora, que deve transformar a Grécia num país modestamente turístico, fora do Euro, mas não dos credores, outra vez voltando para as suas raízes. E não dos desolados gregos que nada mais tem a ver com a minha memória sobre a Filosofia e a Cultura.

Estão caindo Portugal, Espanha, Itália, França (agora vem eleições e vai se saber muito mais) e só não cai quem já está de lado ou deitado.

Então, nesse contexto calamitoso, surge um movimento nos Estados Unidos contra Wall Street e tudo o que ela simplificadamente significa no mundo financeiro. São contra a acumulação do Capital dos bancos e das grandes empresas, quase subscrevem o velho Karl Marx, parece que acabaram de ler o Manifesto Comunista, não estivessem quase todos apenas preocupados numa correção das ganâncias demasiadas.

Mas assim está a classe média no mundo todo, os estudantes em todos os lugares, internautas por toda parte. Aqui, no Brasil, se denuncia a corrupção, naturalmente, mas que muito pouco tem a ver com isso. Vai levar, no mínimo, um bom tempo para entender o que está acontecendo, o Oriente Médio, os africanos, os muçulmanos, os árabes, todos em busca de liberdade.

- Uma palavra muito grande, não é mesmo, Ruy? me pergunta o primeiro companheiro de chope.

- É.


 
Outras colunas
30/11/2011   A memória
23/11/2011   Um amigo antigo
09/11/2011   O cerco na Feira
26/10/2011   Muita coisa está mudando
13/10/2011   Lugar da poesia
05/10/2011   Afinal, o quê?
21/09/2011   Pilchado ou não
14/09/2011   Ah, os carecas precoces!
31/08/2011   O nome dele era Guri
24/08/2011   O livrinho da estante
04/08/2011   Uma distinção juvenil
04/08/2011   Contardo, desculpe
20/07/2011   Gentileza com bailarina
13/07/2011   Tristeza, pra quê?
06/07/2011   Uma direção ou nenhuma
29/06/2011   Ajuste de Mira
15/06/2011   Acalmar-se, enfim
01/06/2011   Olívio Dutra na livraria
18/05/2011   Frio na barriga
11/05/2011   Sem lado
05/04/2011   A foto depois
20/04/2011   Apenas um reencontro
13/04/2011   Sugestões da gripe
06/04/2011   Marlon Brando e eu
30/03/2011   Quase um estranho
23/03/2011   Voar e saber
16/03/2011   Sapato velho
03/03/2011   Perder um amigo
17/02/2011   As férias com nada
   
Colunas de 2014
Colunas de 2013
Colunas de 2012
Colunas de 2011
Colunas de 2010
Colunas de 2009
Colunas de 2008
Colunas de 2007
Colunas de 2006
Colunas de 2005
   
   
 
Depoimentos

25/10/2013
Milton do Prado, Cineasta
 
Admiro
Venho sempre que posso ao Encontros com o Professor. Admiro muito o Ru...
Cultura e educação
O Encontros é realmente muito interessante. É cultura é educação. Serv...
 
Patrocínio

Promoção Apoio Realização